Menus
RssFacebook
Selecionar Menu

Postado Por em set 19, 2017 Categorias: Botuporã, Brasil, Cidades, Correio V.P, Polícia em Ação, Vale do Paramirim | 0 Comentário

PF ESTEVE NO MUNICÍPIO DE BOTUPORÃ NA MANHÃ DE TERÇA-FEIRA 19, NA CASA DE UM MORADOR QUE NÃO TEVE SEU NOME REVELADO, ELE É UM EX-FUNCIONÁRIO DO MUNICÍPIO DE PALMA DE MONTE ALTO OU SEJA APARENTEMENTE A OPERAÇÃO DA PF, NÃO ENVOLVE A PREFEITURA DE BOTUPORÃ. ACREDITO

PF ESTEVE NO MUNICÍPIO DE BOTUPORÃ NA MANHÃ DE TERÇA-FEIRA 19, NA CASA DE UM MORADOR QUE NÃO TEVE SEU NOME REVELADO, ELE É UM EX-FUNCIONÁRIO DO MUNICÍPIO DE PALMA DE MONTE ALTO OU SEJA APARENTEMENTE A OPERAÇÃO DA PF, NÃO ENVOLVE A PREFEITURA DE BOTUPORÃ. ACREDITO

Publicado em 19/09/2017 às 07h04.

Agentes da Polícia Federal cumprem, nesta terça-feira (19), 15 mandados de busca e apreensão, 10 de condução coercitiva e oito de medidas cautelares

Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

 

A Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Controladoria Geral da União deflagraram, na manhã desta terça-feira (19), duas operações contra o desvio de recursos públicos nas cidades de Palmas de Monte Alto, Aracatu, Riacho de Santana e Botuporã, todas na Bahia.

Agentes da PF cumprem 15 mandados de busca e apreensão, 10 mandados de condução coercitiva e oito de medidas cautelares. Segundo os investigadores, a operação apura fraudes nos processos licitatórios e na execução de contratos de prestação de serviços de limpeza, asseio e conservação diária nas dependências de prédios pertencentes aos municípios de Aracatu e de Palmas de Monte Alto entre os anos de 2014 e 2017.

As investigações apontam que a mesma empresa – vencedora das licitações nos dois municípios – era de “fachada” e que muitos dos empregados contratados seriam “fantasmas” ou prestariam serviços em estabelecimentos desativados.

Ainda segundo a PF, os valores recebidos pela empresa eram repassados a servidores municipais ligados ao ex-prefeito de Palmas de Monte Alto ou a familiares do atual prefeito de Aracatu, que utilizavam apenas parte do dinheiro para remunerar pessoas da zona rural ou adolescentes para a execução do objeto do contrato ,O restante era apropriado “indevidamente”. As operações foram batizadas de Chronos e Syagrus.

 

 

 

 

Fonte: http://bahia.ba/politica/pf-deflagra-operacoes-contra-desvio-de-recursos-publicos-na-bahia/

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *